Blog do Pediatra

16/10/2012

Olha o aviãozinho...

Já diria aquela musiquinha que é ensinada nas escolas ‘comer, comer, comer, comer é o melhor para poder crescer’. Mas, e quando este ato essencial para o funcionamento do nosso organismo é realizado de maneira errada, com exageros ou até mesmo carências?

Segundo dados do Ministério da Saúde, uma em cada 10 crianças em idade escolar tem sobrepeso, já repercutindo negativamente na qualidade de vida de nossos brasileirinhos. Sendo assim, visando alertar os pais, profissionais da área de saúde, escolas e todos aqueles que cuidam e se importam com nossas crianças, resolvi escrever sobre a importância que devemos ter com a alimentação de nossos baixinhos.

Relacionado com a carência de certos nutrientes essenciais, muitos pais pedem indicações de como fazer seus filhos comerem determinados alimentos, que são imprescindíveis, mas que a criançada rejeita apenas pelo aspecto, como por exemplo, os legumes e as verduras.

Um conselho que dou para casos como estes é que apresentem os alimentos às crianças desde cedo. É preciso explicar que aquilo é bom para a sua saúde e para o crescimento saudável. Essa atividade é fácil de ser praticada e pode ser realizada levando-as consigo nas idas ao supermercado ou até mesmo com leituras de livros relacionados à alimentação.

Uma pequena horta domiciliar, mesmo em apartamentos, em varandas ou próxima a janelas, também será um grande estímulo, levando a criança a conhecer e respeitar os trâmites dos alimentos, desde o início de sua produção até a mesa da sala de jantar.

Outra dica simples de ser colocada em prática é a de interagir com o pequeno no preparo das comidas, além de fazer com que a hora das refeições seja de uma maneira natural e prazerosa, e não uma obrigação. Algumas crianças fazem birra para comer, pois se sentem pressionadas e obrigadas, e isso contribui para as tão conhecidas pirraças. O segredo é fazer com que a alimentação faça parte da rotina da criança. Uma saída mais divertida é produzir pratos coloridos e alegres com estes alimentos, convidando a criança a explorá-los.

Também existem os exageros: as guloseimas que a criançada adora. Bom, proibir não é a saída. Deve-se escolher um determinado dia para a ingestão destes alimentos, sendo assim uma maneira divertida e que já mostra disciplina à criança. Fazendo isso, os pais estarão ensinando que ela pode comer (quase) de tudo, mas que há certos alimentos que devem ser consumidos com moderação por fazerem mal à sua saúde - como as frituras, lanches de fast-foods, refrigerantes e os doces.

Por fim, não devemos esquecer que a hora da refeição precisa ser respeitada e não pode ter distrações, como a televisão ligada. Reúna a família para que todos usufruam deste momento em que, mais que ingerirem alimentos saudáveis, todos poderão trocar conversas de como foi o dia de cada um, fortalecendo, assim, o laço familiar. Este momento é importante, não só para alimentar o corpo, mas também a alma.

Por Dr. Sylvio Renan às 18h16

08/10/2012

A arte e a graça de ser criança

Dia 12 de outubro (próxima sexta-feira) é comemorado o Dia das Crianças e, claro, eu não poderia esquecer de preparar um texto especial a elas, que tanto prezo e a quem me dedico, diariamente.

Quem não se lembra da sua infância, quando a inocência, a imaginação sem limites e os sonhos prevaleciam? Talvez estas são as principais e mais gostosas características de ser uma criança.

Brincadeiras, amigos, descobertas, doces, cores, fantasias, aprendizados e a lição diária de aprender e se conhecer na mesma proporção que os centímetos da altura vão-se alavancando.

Mais que contextualizar o quanto é bom ser criança, é importante resgatar como sê-la. Infelizmente, em pleno século XXI, o que vemos são nossos pequenos cada vez mais estressados, intelectualizados e atarefados. As crianças de hoje crescem também de maneira não muito saudável, sem usufruir das maravilhas da infância. Devido aos transtornos das grandes e – também! – das pequenas cidades, o medo, a violência, e ainda por inércia de muitos pais (‘Ah! Não tenho tempo agora!’),  o videogame, o computador, o tablete (às vezes já o Smartphone!) substituíram ao longos das últimas décadas a brincadeira de rua, o jogo de quebra-cabeça, os brinquedos lúdicos e manuais. Enfim, a atividade física, ainda que mínima, e lúdica são partes cada vez mais do passado.

Não digo que as nossas crianças não devam usufruir destas tecnologias. Devem, até porque elas são desta geração. Mas o que quero frisar é que ser criança é muito mais que isso. Ser criança é brincar de boneca, pular corda, jogar bola no quintal ou na rua, subir em árvores, colorir e rabiscar as revistinhas infantis, cantar canções educativas e por aí vai... Isso é ser uma criança saudável!

E veja você como são as coisas: diversas pesquisas e estudos apontam há vários anos para o aumento da obesidade infantil. Tanto em virtude da alimentação não adequada quanto pela falta de uma atiividade física mais constante – sim, chutar bola, subir em árvores ou qualquer coisa do gênero é um exercício físico importante. A inércia em frente à Tv ou ao computador, o estar sentado com um tablet na mão, não.

Dançar é outra atividade importante e toda criança, desde a mais tenrra idade gosta e sabe fazer isto. Recentemente, auxiliei como pediatra o projeto Disco Baby, da DJ, jornalista e mãe de um dos meus pacientes Claudia Assef. Colaborei por entender que música faz bem – seja qual for! -, e dentro de critérios bem fundamentados, melhor ainda.

A chamada “balada” (sim, a Disco Baby é uma baladinha) é voltada para as crianças e tem a ideia de garantir um espaço alegre e saudável para que os pequenos possam pular, dançar e se divertir ao som de músicas infantis e atuais, com comidinhas e bebidas nutritivas. Tudo foi pensado neles. Até o volume do som é limitado de acordo com a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Mas antes de mais nada, dançar faz bem e queima calorias!

Esta é só uma das alternativas para inserirmos nossas crianças no mundo a que elas pertencem: o de ser criança! Para saber mais da bela iniciativa, acesse o Facebook da Disco Baby e programe-se para acompanhar o seu baixinho nesta festa. Você e eles vão se divertir.

Por fim, deixo aqui a minha mensagem e homenagem a estes seres que enchem nossas vidas de graça e luz. Crianças, aproveitem esta delíciosa fase e sejam única e exclusivamente o que devem ser: crianças!

Por Dr. Sylvio Renan às 15h39

Sobre o autor

Sylvio Renan de Barros

é médico, tendo
iniciado o curso

na Faculdade de Medicina de Botucatu e se formado em 1974 pela Faculdade de Medicina do ABC. Especializou-se em pediatria na Unifesp/EPM, obtendo em seguida o título pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Fez especialização prática pela General Pediatric Service da University of California - Los Angeles (Ucla) e participa de diversos simpósios do setor. Atuou por quase 30 anos em Pronto Socorro Infantil. Atualmente se dedica a seu consultório e à literatura médica para leigos. Seu primeiro livro lançado chama-se "Seu bebê em perguntas e respostas - Do nascimento aos 12 meses".

Sobre o blog

O objetivo deste blog é fornecer informações básicas relacionadas à área da pediatria. São abordados, de forma didática, temas que permeiam o universo da saúde da criança, como primeiros cuidados, doenças mais comuns, vacinação e alimentação.

Livros indicados

"Seu Bebê - Em perguntas e respostas"
Obra que reúne informações imprescindíveis para mães e pais de primeira viagem. Mas não se trata de um compêndio técnico sobre o "bebê-padrão", e sim de um livro que aborda casos específicos atendidos pelo autor ao longo de três décadas de pediatria.


"Nefrologia para Pediatras"
Livro que tem suas origens no Setor de Nefrologia Pediátrica do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, que se ampliou com a subseqüente formação de equipe de colaboradores nacionais, procedentes dos mais expressivos serviços de Pediatria do país, de notória e relevante contribuição para a Nefrologia Pediátrica.